ITEM 2 – ME AMAR E ME CUIDAR

Já tem um tempo que venho pensando em como falaria sobre o item 2 da minha listinha de ano novo. Pra mim esse é um assunto importante e que precisava ser tratado com carinho, com cuidado e, acima de tudo, com respeito. Respeito a mim e a qualquer pessoa que venha ler isso aqui. Tá confuso? Tá estranho? Calma, que você vai entender melhor.

É engraçado quando a gente começa a prestar atenção nas coisas e várias situações do cotidiano passam a ter outro sentido e levar até algumas reflexões mais profundas. Pois eu andei pensando bastante em algumas situações simples da minha vida que foram como “água mole em pedra dura” e no final das contas, tiveram bastante influência sobre como, por muito tempo, eu enxerguei a mim mesma🙂 Ok, vou parar de enrolar e começar a contar umas coisinhas.

Eu nasci gordinha, fui uma criança gordinha, uma pré adolescente gordinha e na adolescência  consegui emagrecer e me tornar mais “normal”. Com 1,63 estava pesando 60 kg aos 17 anos. Não era esquelética e nem super magra, mas era um peso bom pra mim. Quando fiz 20 anos comecei a faculdade e  um namoro. Foram coisas que me fizeram bem de várias maneiras, mas com meu novo cotidiano mais atarefado acabei relaxando na aparência. O namoro acabou 3 anos depois, a faculdade ainda continua, e no meio de tudo isso eu me vi 20 kg mais gorda. Mas porque estou contando essas coisas?

Por ter nascido gordinha, desde que eu me entendo por gente tenho essa ideia na minha cabeça de que é necessário se encaixar a padrões que nunca foram os meus. Sempre sentia que havia algo errado em mim e que para realizar coisas que desejava, precisava antes chegar ao peso ideal. Por exemplo: “quero ir na praia mas não vou porque antes preciso emagrecer uns 10kg”, “quero dizer para aquele menino que eu gosto dele mas não vou porque sou gordinha e ele não vai gostar de mim”. Hoje, olhando para trás percebo o quanto é absurdo esse tipo de pensamento, o quanto é cruel com uma criança, ou com qualquer outro ser humano, fazer com que ele se sinta menos aceito, menos merecedor de algo, menos bonito ou “menos bom” pelo simples fato de não estar do jeito que supostamente deveria. E nós, que somos bem grandinhos, sabemos que esse tipo de mensagem sobre se encaixar em padrões está em todo lugar. Seja na escola, seja na mídia, seja na rua, na praia, na academia, na internet…Em tudo quanto é canto tem.

Quando eu era criança tinha sempre uns coleguinhas me chamando de gordinha e fazendo umas brincadeiras malvadas. Lembro de um dia na escola em que tivemos uma tarefinha de casa sobre o corpo humano, nessa tarefinha era necessário colocar nossas características como peso, cor do cabelo, altura e etc. No dia seguinte, a professora corrigiu a tarefa na sala e todos os alunos ficavam levantando a mão para responder suas características, eu fiquei rezando para que ela não me escolhesse porque havia respondido todas  as lacunas menos a que perguntava sobre o peso, e não era porque eu não sabia, era porque eu tive vergonha de colocar ali meu peso pois, na minha cabeça, todo mundo ia rir quando ouvisse.

Alguns anos se passaram, cresci um pouquinho, emagreci. Cursei o ginásio e o ensino médio mais tranquila. O que eu fazia era uma atividade física regular e uma alimentação mais regrada apenas nos dias da semana. Porém, o mais engraçado disso tudo é que esses padrões e a cobrança que desenvolvi para mim mesma sobre a minha aparência estavam tão enraizadas aqui dentro que mesmo depois de emagrecer, ainda tive que lutar com esses boicotes internos e externos. Agora, mais velha e mais gordinha, me vejo tendo que lidar novamente com o fato de estar acima do peso, com a forma como percebo meu corpo, com a minha autoestima e com a forma como as pessoas me percebem. Mas dessa vez, mais consciente e só um pouquinho mais madura, quero fazer e encarar essa minha realidade de uma maneira diferente.

Esse post, no entanto, ainda não é pra falar sobre como pretendo fazer isso. Mas é pra falar sobre como a gente precisa se amar e se cuidar da exata maneira que nós somos. E isso não quer dizer que eu vou aceitar todos os meus defeitos e não tentar muda-los, ou que vou acordar de manhã e me achar maravilhosa todos os dias. Afinal, é normal ter dias em que a gente acorda se achando com cara de quem ainda está dormindo, ou ter defeitos com os quais muitas vezes, por mais que a gente tente e se ame, não conseguimos lidar muito bem. E isso é normal, todo mundo aqui é humano. Fora do normal é se sentir mal com quem você é todo santo dia por conta dos outros.

O que eu quero dizer é que conhecer nossos defeitos, nossa cara de sono, nosso dia de cabelo ruim, entender tudo isso, conhecer a nós mesmos e aceitar a forma como somos hoje (não ontem, não amanhã), isso é se amar. E você merece isso.  Merece se amar do jeito que você é, do jeito que você está. Se amar com 60kg ou com 80kg. Pois não é meu peso que me define, ou meu cabelo, ou minha pele, ou minha orientação sexual…Essas coisas podem ser parte de mim, mas eu não sou só isso. E o fato de alguma dessas características em mim não estar dentro do padrão não me faz menos merecedora, menos bonita, menos qualquer coisa. E isso a gente nunca pode se dar o direito de esquecer, pois o que não vai faltar nessa vida é gente nos fazendo lembrar que não somos bons o suficiente pelo motivo que for. E quando isso acontecer meu amigo, minha amiga… Quando isso acontecer te convido a olhar pra dentro e se amar ainda mais, se afirmar ainda mais, empoderar ainda mais o seu ser e quem você é. Não tenha medo de ser quem você é, de mostrar isso pro mundo, de se amar assim. Você merece isso!

Agora, só para a gente dar uma distraída enquanto reflete. Dá um saque aqui nesse video da  Bruna:

 

PASSO ZERO

O carnaval chegou e me deparei com uma semana cheia de horas livres. Estava esperando ansiosa por isso. Esse ano resolvi priorizar colocar as coisas e a cabeça no lugar ao invés de cair na folia todos os dias. Caso você fique em casa também nesse carnaval, que tal separar esse tempo para se organizar, pensar em como você quer que seja o seu ano e se preparar com tranquilidade para fazer as coisas acontecerem?

Resolvi usar alguns minutos dessa minha folga para montar meu calendário do mês de fevereiro. Imprimi um daqueles calendários lindos que postei já tem uns dias e usei para estabelecer o “passo zero” (falo dele no post dos calendários) com tudo escrito e bem visível na parede do quarto, pra não ter aquela desculpa de esquecer ou procrastinar.

Por conta disso, é melhor começar com paciência e optar pelo “devagar e sempre”. É frequente em mim começar qualquer coisa e logo pensar dez casas na frente de onde estou, mas não conseguir visualizar o próximo passo que eu quero dar. E assim nada nunca vai pra frente, fico perdida e desanimo. Não adianta sonhar o tempo todo e esquecer que é no presente que a gente precisa realizar as coisas que quer colher no futuro. É preciso viver e valorizar o agora.

Separei apenas três coisas para fazer em fevereiro e coloquei prazo para começo e fim de cada item. Tudo aqui se baseia em uma experimentação minha para tentar mudar a forma como vivo, quero mais organização, saúde e tranquilidade para mim. Espero que as coisas deem certo mas, de antemão, já aviso que pode também não dar. E quando isso acontecer, também será algo compartilhado. Então vou colocar aqui o meu “passo zero” e no final do mês, conto como foi. Combinado?!

O que eu pensei pra mim foi isso aqui:

  1. Aprofundar conhecimentos sobre possíveis métodos de organização – Hoje até o dia 13/02
  2. Terminar as pendências D.I.Y daqui de casa (aquelas coisas que a gente começa a fazer, larga numa gaveta e deixa fazer aniversário sabe?) – Hoje até o dia 20/02
  3. Ler livro da Marie Kondo – Hoje até dia 28/02

 

Deu pra perceber que é tudo bem facinho e bem genérico? São medidas para alimentar meu conhecimento sobre o mundo da organização e também eliminar pendências que incomodam e deixam aquela sensação de “vida atrasada”. Além disso, esses passos de formiguinha não atrapalham minha rotina de estudo/trabalho e também não me deixam preocupada de cabelo em pé com medo de não conseguir fazer. Acho bom, acho justo. Se é a minha mudança, quero que ela seja feliz e tranquila.

Viver é a arte de fazer durar.

A photo posted by Um cartão (@umcartao) on

 

E você? Tá pensando em fazer o que no seu fevereiro? Pensa em uma coisa, mesmo que seja só uma, para desatolar… um livro pendente, uma arrumação que nunca acontece naquela gaveta, ou até um tempinho só pra você sem fazer mais nada. Deixa pelo menos uns minutinhos para olhar pra dentro e se perguntar “do que eu estou precisando”? “O que eu quero”? As vezes apenas um passo pode parecer pouco, mas a vida não precisa mudar de um dia para o outro. O ritmo de todo dia já é tão doido, vamos nos permitir ser um pouquinho mais formiguinhas, tartarugas… Devagar, com felicidade e sempre! Pensa aí e conta aqui para a gente dividir umas ideias.

CALENDÁRIOS PARA AMAR E IMPRIMIR

 

Oi gente! Agora que já sei o que quero fazer em 2016, tá faltando começar a me organizar pra colocar tudo em prática, certo? Fiquei pensando bastante num jeito legal de fazer isso e me deparei com o calendário e o planner do E aí, Beleza?  feito junto com Canson Colorido para imprimir e usar. Morri de amores quando vi e então saí louca pelo pinterest, google e sites da vida procurando outros calendários/planners. Você também está querendo um empurrãozinho para se programar? Ou um calendário puro amor para apreciar todo dia? Então chega mais!

Acho uma maneira ótima de começar. Tenho vários planos para organizar armário, livros, roupas e ainda preciso ter tempo pra estudo, trabalho e todas essas coisas. Então, o calendário foi a maneira que encontrei de organizar meus afazeres da vida cotidiana para que eu consiga  tempo para realizar todos os meus projetos relacionados às minhas resoluções para 2016. Ficou confuso? Então deixa eu te explicar melhor: Esse seria o “passo zero”, antes mesmo de dar o primeiro passo (rumo ao infinito e além!) e  a ideia é ter algo que represente a minha rotina de maneira mais palpável para eu estar sempre visualizando meus compromissos e achando tempo pra mim!

Selecionei material apenas em português, porque acho válido valorizar o que vem daqui. Os meus escolhidos foram:

Coisas Boas Acontecem: AQUI! (calendário)

gif-calendario

E aí, Beleza? AQUI! (calendário)

calendario-2016-para-imprimir-gratis (2)

E aí, Beleza? AQUI! (planner)

plannersemanal-e-mensal (1)

 

Pequenas causas: AQUI! (calendário)

Cadê o meu café? AQUI! (calendário)

calendario

Jéssica Cirino: AQUI! (calendário)

Primeiro Rabisco: AQUI! (calendário)

01 - janeiro

Sehziinha: AQUI! (calendário)

calendario-2016-para-download Calendário 2016 Watercolor - Download Calendário 2016 Watercolor - Download calendario 2016 para download

Entre Batons e Cafés: AQUI! (calendário)

Subexplicado: AQUI! (planner e calendário)

Casinha Arrumada: AQUI! (planner)

Planner 2016 Casinha Arrumada

Vitor Martins: AQUI! (calendário)

 

Que Se Ame: AQUI! (planner)

planner, planner 2016, planner 2016 para baixar, planner para baixar, download planner, agendas, agenda online, life planner, planning, dialy planner, agenda online gratis, calendario mensal, planners, agenda planner comprar, agenda planner, planner agenda, baixar agenda

Não me mande flores: AQUI! (calendário e planner)

Planner Mensal 2016 - Janeiro | Blog Não Me Mande Flores

 

Bom gente, o que acharam? Espero que seja tão útil pra vocês quanto será pra mim!

 

 

MINHA LISTA DE RESOLUÇÕES PARA 2016

Oi gente! Bem, vamos ao ponto chave disso tudo aqui?

Para fazer a minha lista do ano novo eu não estabeleci um número específico de itens e acho que deve ser assim pois cada pessoa tem sua necessidade e o tamanho da lista pode sempre variar. Mas acho fundamental que ela não seja extensa demais, porque dá pra garantir que a gente não se perca no meio de uma infinidade de itens e também não esqueça de nenhum.

Que rufem os tambores! A minha lista ficou assim:

1 – Me tornar uma pessoa mais organizada

Esse, com certeza, é um dos meus maiores defeitos. Perco horário, perco minhas coisas, esqueço tudo. E é sempre por causa do meu constante estado de desorganização. É um coisa com a qual eu luto diariamente e precisa mudar, pra ontem! Principalmente porque até para eu conseguir realizar os outros pontos na lista e também manter o blog e a vida, será necessário organização.

2- Me amar mais e me cuidar

Sobre esse assunto existem muitos “porques”. E quero falar dele com cuidado. Então, sobre ele, vai ter uma coisinha mais especial no futuro.

3 – Praticar o minimalismo

A prática do minimalismo foi uma coisa com a qual me deparei por acidente, pela internet mesmo. E no meio dessa minha fase tão doida de não saber o que fazer da vida, vi ideias nas quais me senti representada e onde vi coerência nos pensamentos. Mas sobre isso eu também quero falar com mais cuidado, por enquanto é só para a gente ir esquentando!

4 – Cozinhar mais e ler mais

Cozinhar e ler são meus hobbies favoritos na vida! Amo ler e sou uma acumuladora de livros. Além disso, amo uma comidinha. Principalmente aquelas que têm bastante açúcar (prazer, me chamo formiga). Cozinhar, é uma atividade quase terapêutica pra mim (só não sou fã da parte em que a gente tem que lavar a louça). Mas com a correria do dia a dia comecei a me afastar cada vez mais dessas coisas. Sinto falta e quero elas de volta na minha vida.

5- Economizar

Nada nessa vida tá fácil. Dinheiro, muito menos. Então aprender a usar o nosso suado dindin de forma consciente e ainda conseguir guardar umas nicas no fim do mês? Só vejo benefícios nisso!

6- Investir em mim profissionalmente

Sou estudante de Arquitetura/Urbanismo e estou bem pertinho de formar. No entanto, ainda não descobri que área específica quero seguir no ramo. Por isso, esse tópico é para eu me jogar em absolutamente todas oportunidades que aparecerem de conhecer algo novo na área para conseguir me achar, eu espero!

7- Terminar o que eu começar

Falei que ser desorganizada era um defeito né? Largar as coisas pelo meio também está nessa lista. Nessa vida de “gente grande” , que uma hora ou outra chega pra todo mundo, é preciso persistir, lutar e seguir em frente sem desistir quando as coisas não estão gatinhas. Preciso disso pra semana passada! Vamos ter bastante trabalho nesse tópico aqui, meu bem.

8- Coragem

E o que falar dessa nossa amada amiga de todas as horas? Ai a coragem! Sem ela, como a gente faz pra mudar? Pra enfrentar as coisas? Pra crescer? Tá pensando que crescer é fácil?! Né não! Tem gente que age no medo, quando sente medo se movimenta e funciona assim. Eu já sou meio o contrário, sentir medo é um troço que me paralisa. Começo a pensar que não sou capaz, que não consigo…e aí lascou-se. Quando vejo já to me achando a pior pessoa do mundo.  Então, se comigo o medo não funciona…Vai ter que ser na coragem mesmo!

 

Esses foram os tópicos com os quais me comprometi. E você? Aposto que também tem uma listinha de fim de ano aí, né não? Se não tiver, que tal fazer uma? Compartilha aqui quais são seus planos pra 2016, mas não pode esquecer deles depois hein?! Vamos tirar essa bunda da cadeira, meu povo!

 

SOBRE PROMESSAS E AS VOLTAS QUE A VIDA DÁ

Sabe quando a gente sente que está tudo fora do lugar? Quando tudo no mundo parece errado…ou perto disso?  Tenho me sentido bastante assim, por muito tempo.

No final das contas, depois de muita pesquisa no Google sobre “o que fazer da vida”? E não achar uma resposta suficiente, percebi que o problema estava em mim e, ôh alívio, a solução também! Com algum sofrimento e batendo muito a cabeça entendi não ter como a gente controlar como as pessoas à nossa volta se comportam e nem como controlarmos todo tipo acontecimento do nosso cotidiano. Nós só temos inteiro controle sobre a forma como lidamos com os fatos e como reagimos a eles.

Aprendi também, e isso pode parecer muito clichê, que a mudança desejada ver no mundo precisa partir da gente. E eu quero mudar, viver uma vida mais de acordo com quem sou e com o que penso. Então, depois de demorar um tempo pra internalizar e compreender de verdade essas coisas, ainda ficou a pergunta ” O que fazer agora”? Vou ser honesta: Não faço ideia da resposta. Mas como tudo tem um lado bom na vida (e eu esqueci a modéstia na esquina)… Esse é o motivo deste blog existir! Afinal, preciso começar de algum lugar e não dá apenas para esperar a ideia genial cair do céu e resolver a minha vida. Preciso agir de alguma maneira.

Fica combinado assim: Decidi usar como ponto de partida as minhas resoluções do ano novo. Sabe aquela listinha que a gente faz todo início de ano para tentar cumprir durante os 365/366  dias seguintes? É exatamente dela que eu estou falando. Eu sei, eu sei… Já estamos quase em fevereiro, mas como dizem que o ano só começa mesmo depois do carnaval, deve estar valendo.

Vou compartilhar tudo aqui para me motivar e não desistir (sou nota 10 em começar as coisas e largar pelo meio). E espero que você sinta-se em casa para comentar, dar sugestões, fazer a sua própria listinha, se comprometer com ela e o que mais vier na sua cabeça, isso aqui é um espaço colaborativo!